GAA

Violência Doméstica

Comportamento violento, através de uso da força, coação ou intimidação.
Tipologia – existem diferentes tipos de violência que pode ser perpetrada contra a vítima
- Física (pontapear, esbofetear)
- Psicológico (chantagear, ameaçar)
- Sexual (ato sexual não consentido)O QUE É?

Ciclo da Violência


A violência doméstica funciona como um sistema circular – o chamado Ciclo da Violência Doméstica – que apresenta, regra geral, três fases:
1. aumento de tensão: as tensões acumuladas no quotidiano, as injúrias e as ameaças tecidas pelo agressor, criam, na vítima, uma sensação de perigo eminente.
2. ataque violento: o agressor maltrata física e psicologicamente a vítima; estes maus-tratos tendem a escalar na sua frequência e intensidade.
3. lua-de-mel: o agressor envolve agora a vítima de carinho e atenções, desculpando-se pelas agressões e prometendo mudar (nunca mais voltará a exercer violência).
Nenhum fator de risco é, por si só, garantia de que uma situação de violência possa ou esteja a acontecer. O que é certo é que a conjugação de diversos fatores de risco aumenta a probabilidade de se verificar uma vitimação.FATORES DE RISCO

Os fatores de risco de ser um/a agressor/a descritos são diversos, entre os quais


- Ser do género masculino e jovem
- Ser dependente de substâncias (por exemplo, álcool e drogas)
- Ter doença física ou mental (por exemplo, depressão, perturbação de personalidade, etc.)
- Ter personalidade imatura e impulsiva, baixo auto-controlo e baixa tolerância às frustrações, apresentando grande vulnerabilidade ao stress, baixa auto-estima, expectativas irrealistas e indiferença ou excessiva ansiedade face às responsabilidades perante a vítima
- Ter carências socioculturais e económicas, estando financeiramente dependente da vítima (mais frequente no caso das pessoas idosas)
- Estar desempregado ou, ao invés, ter uma vida social e/ou profissional muito intensa, que dificulta o estabelecimento de relações positivas com os membros da família
- Ter antecedentes de comportamentos desviantes
- Apresentar antecedentes pessoais ou familiares de vitimação
- Não conseguir admitir que a vítima foi ou esteja a ser abusada, nem compreender quais as reais necessidades e eventual situação clínica daquela, sendo incapaz de lhe oferecer proteção
- Ser inexperiente em termos de prestação de cuidados.

Relativamente aos fatores de risco associado à vítima



- Ser do género feminino
- Apresentar características de vulnerabilidade em termos de idade (crianças pequenas, pessoas idosas) e de necessidades (particularmente crianças, idosos e pessoas com handicap)
- Ter personalidade e temperamento desajustados relativamente ao agressor
- Estar dependente do consumo de substâncias (por exemplo, álcool, medicamentos e drogas)
- Ter doença física e/ou mental, ou deterioração cognitiva fisiológica (no caso das pessoas idosas)
- Ter sido vítima de violência na infância ou ter, designadamente, assistido a violência entre os seus cuidadores
- Ser prematuro e de baixo peso ao nascimento (no caso do violência infantil por serem crianças mais frágeis, estarem menos alerta, chorarem mais)
- Ter dependência física e emocional relativamente ao agressor
- Ter escassos recursos económicos, encontrando-se dependente do agressor
- Ter baixo nível educacional
- Habitar em precárias condições
- Estar socialmente isolada.
Motivos que dificultam a saída da relação abusiva

Fatores pessoais/relacionais


- Dependência emocional
- Desejo de manutenção das vivências familiares (convivência entre pais e filhos)
- Crenças e estereótipos, relativamente ao casamento
- Culpabilização
- Vergonha
- Crença na Mudança do agressor
- A não perceção e/ou reconhecimento dos maus-tratos
- Desânimo aprendido
- Baixa auto-estima
- Medo de represálias e/ou retaliações de terceiros
- Dificuldades financeiras e de habitação/dependência económica
- Pressão familiar
- Contexto privado dos maus-tratos.

Fatores sócio-culturais


- Crenças estereotipadas e desejabilidade social
- Ausência de suporte informal e/ou rede de apoio fragilizada.

Formulário - Violência Doméstica

Mais nesta categoria: « Bullying Violência Namoro »