GAA

Violência Namoro

Ato de violência, pontual ou contínua, cometida ou contínua, cometida por um dos parceiros (ou ambos) numa relação de namoro.O QUE É?

Tipologia – esta manifesta-se de diferentes formas contra a vítima


- Física (empurrões, agarrar, arremesso de objetos, bofetadas, pontapés, murros, ameaçar usar a força física ou agressão);
- Sexual (obrigar a atos sexuais – sexo anal, oral e vaginal, quando não se quer; acariciar – ou forçar carícias, sem que se queira);
- Verbal (quando te chama nomes, grita, humilha, através de comentários negativos, intimidação e ameaça).
- Psicológica (parte ou estraga os teus objetos ou roupa; controla a tua maneira de vestir; controla o que fazes nos tempos livres e ao longo do dia; liga-te constantemente ou envia mensagens; ameaça terminar a relação como estratégia de manipulação).
- Social (Humilha-te, envergonha ou tenta denegrir a tua imagem em público, especialmente junto dos teus familiares e amigos; mexe, sem o teu conhecimento, no teu telemóvel, nas tuas contas de correio eletrónico ou na tua conta de facebook; proíbe-te de conviver com os teus amigos e/ou com a família).

Fatores de risco


- Duração do relacionamento : a violência tende a ocorrer com maior frequência ou com maiores agravantes conforme a duração da relação. Assim, namoros com maior duração são mais propícios a se tornarem violentos.
- Idade : os jovens, principalmente os adolescentes, são propícios a maiores danos físicos e psicológicos, devido a fatores como: carência, pouca experiência, desejo de independência, aliança e confiança em pares tão inexperientes quanto eles, o que limitaria suas habilidades para responder à violência. Assim, quanto mais jovem, devido aos fatores destacados, maior a possibilidade de desenvolver violência na relação de namoro.
- Vivência de namoros violentos durante a adolescência podem aumentar o risco de continuar a violência interpessoal na vida adulta, como vítima ou perpetrador.
- Fatores psicológicos: baixa autoestima no homem facilita o estabelecimento de relações violentas, enquanto na mulher tende a facilitar o estabelecimento de relações violentas nas quais torna-se vítima. Comportamentos de raiva, traços e características de personalidade e de personalidade borderline, conflitos no relacionamento, problemas de comunicação, dominação e atributos negativos do parceiro são fatores facilitadores do desenvolvimento de namoros violentos.
- Violência intrafamiliar : a vivência de violência no seio da família seria um fator que levaria a uma pré-disposição para estabelecer relações violentas, como perpetrador ou vítima.
- Stalking: isolamento imposto pelo parceiro durante o namoro ou após o término, que muitas vezes não é reconhecido como violência, embora o seja. (Formas de impedir contatos sociais com os pares, típicas de comportamento de violência, que ocorrem repetidamente, tendo como uma das suas principais motivações o controle social da vítima. Envolve atos como telefonemas constantes, tentativas de aproximação e comunicação não consentidas, constranger formas de vestir e se relacionar, vandalismo das propriedades das vítimas, envio de cartas e presentes. Há diferentes categorias de stalking , e dife-rentes stalkers (quem comete stalking ), mas em geral são cometidos por ex-namorados.)
- Dificuldade em reconhecer uma condição de vítima : por acreditar que a violência é uma forma de expressão do amor que sente, naturalizando assim a violência. Ao naturalizá-la, o risco é de permanecer em namoros violentos, sem perceber tal fato
- Abuso de álcool e drogas: O abuso destas substâncias propicia um comportamento mais violento e, consequentemente, contribui para a violência na relação

Todas as formas de violência no namoro têm um objetivo comum: magoar, humilhar, controlar e assustar.

Lembra-te que: A violência nunca é uma forma de expressar amor ou paixão por outra pessoa.
- Opta por locais públicos e movimentados para estares com o/a teu/tua namorado/a. Locais isolados podem colocar-te em risco.
- Escolhe atividades em que estejas com o/a teu/tua namorado/a na presença de outras pessoas (ex.: o teu grupo de amigos).
- Muda as rotinas (ex.: o teu percurso para a escola e da escola para casa) e procura estar na companhia de amigos ou colegas de turma.
- Quando saíres diz a alguém em que confies onde vais e a que horas regressas.
- Grava contactos telefónicos importantes no teu telemóvel, para poderes pedir ajuda facilmente caso precises.
- Se sentires que estás em perigo, procura imediatamente alguém ou um sítio mais seguro (ex.: um sítio onde estejam mais pessoas). Podes também ligar 112. O profissional que atender a tua chamada enviará para o local onde te encontrares os meios necessários para te proteger. PLANO DE SEGURANÇA VIOLÊNCIA NO NAMORO

Formulário - Violência no Namoro